sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Policiais são presos suspeitos de contrabando de cigarros em MG



Ação é do Gaeco de Uberaba, MP de Uberlândia e de Campina Verde.
Militares forneciam informações à quadrilha, apontam investigações.

Caroline AleixoDo G1 Triângulo Mineiro
     Oito mandados de prisão foram cumpridos contra policiais de cidades do Triângulo Mineiro, na manhã desta sexta-feira (23), durante a “Operação Anticorpos” de combate ao contrabando de cigarros na região. Entre os presos, estão dois policiais militares lotados em Honorópolis, distrito de Campina Verde, suspeitos de terem envolvimento com o esquema.As investigações foram conduzidas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Uberaba em conjunto com a Promotoria de Campina Verde, Procuradoria da República de Uberlândia e Corregedoria da Polícia Militar de Minas Gerais.
     O G1 procurou a Polícia Militar de Iturama, responsável pela companhia em Honorópolis, que informou ainda não ter conhecimento do teor da acusação contra os militares, em virtude das investigações serem sigilosas. Mas ressaltou que assim que a administração tomar total conhecimento dos fatos, certamente será instaurado algum procedimento interno, paralelo às investigações do Gaeco.
    De acordo com o promotor de Justiça e coordenador do Gaeco em Uberaba, José Carlos Fernandes, os mandados de prisão, busca e apreensão foram expedidos pelo juiz federal de Ituiutaba. “Os mandados foram cumpridos em Prata, Iturama e Honorópolis. Estávamos monitorando há alguns meses essa organização criminosa envolvida no contrabando de cigarros vindos dos Paraguai”, comentou.
    Conforme apurado pelo MPE, os policiais militares forneciam informações para a quadrilha para que o transporte da mercadoria contrabandeada não enfrentasse contratempos. Os militares ficarão presos preventivamente no presídio militar de Uberaba. Os demais presos serão levados para a penitenciária de Uberaba.O número total de prisões, o resultado das apreensões, bem como mais detalhes da operação serão divulgados pelo Gaeco ao fim da tarde desta sexta-feira.


quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Conheça as diversas modalidades do falso seqüestro que vem acontecendo aqui em Prata

Veja o vídeo de uma das ações reais dos criminosos

Um dos grandes problemas que vem alarmando a população Brasileira chega também a nossa cidade do Prata, estou falando sobre as várias modalidades dos crimes praticados por telefone que é feito na maioria, por bandidos dentro de prisões.
É um golpe que não se sofisticou muito com o tempo. Normalmente ligam a cobrar, informando que algum parente da vítima foi sequestrado, e colocam a falsa vítima na linha que começa a chorar e a implorar por socorro, solicitando para que se faça o pagamento de uma quantia em dinheiro para o resgate. Eu mesmo já passei por dois momentos assim, inclusive o último foi hoje dia 22 de setembro por volta das 12:30.
E aqui em Prata já tivemos várias ocorrências deste tipo causando muito susto e prejuízos financeiros para as vítimas, a última foi esta semana com uma senhora da Rua João Menegaz, onde os bandidos ligaram pra ela dizendo que uma parente tinha acabado de ser acidentada e que precisavam urgente que ela depositasse urgente uma grande quantia no banco para que fossem pagos os gastos com o hospital, e depois dela falar que não tinha a quantia pedida, acabaram aceitando que ela depositasse em torno de R$1.000,00, e só depois do depósito, já com a Policia, é que ela descobriu que foi enganada  Vamos aqui enumerar os meios mais usados por bandidos para que a população Pratense saiba reconhecer os golpes:
SEQUESTRO VIRTUAL:  O bandido liga para o celular da vítima noticiando o sequestro de um parente. A estratégia é agredir psicologicamente a pessoa com frases fortes e proferir ameaças de morte ao suposto refém. Manter a vítima ao telefone, impedindo-a de desligar o celular é o segredo do sucesso do golpe. O preço do resgate é a compra de créditos para telefones celulares pré-pagos ou transferência de dinheiro (valores entre R$ 1 a R$10 mil) para contas abertas com documentos fraudados.
TEATRO CRIMINOSO: Ao atender ao telefone, normalmente de madrugada, a vítima ouve uma voz chorosa pedindo socorro. "Mãe" ou "pai", diz a voz, "eles me pegaram". Em geral, a pessoa, na tentativa de se certificar se é seu filho (ou filha) que está falando, acaba revelando seu nome. Imediatamente, o bandido entra na linha e anuncia o seqüestro.
Segundo a Polícia Militar e Polícia Civil “em caso de receber uma chamada deste tipo, a primeira coisa é tentar manter a calma. Não é fácil para um pai ou mãe se controlar mediante uma situação dessas, mas em todo caso a gente reforça a importância de agir friamente. E é importante lembrar que nenhum seqüestro real exige um tempo tão curto para efetuar o depósito do resgate, portanto pedidos imediatos já levantam suspeitas”.

DICAS IMPORTANTES:
Para você não ser a próxima vítima, e também orientar seus familiares e amigos, veja o que pode ser feito para não cair no golpe. Caso aconteça as situações mencionadas, veja o que fazer:
1. não compre os cartões;
2. desligue o telefone;
3. quando eles percebem que não vão conseguir extorquir, eles desistem;
4. não se desespere você não está correndo risco.
5. Procure ter em casa se possível um identificador de chamadas, facilita muito a identificação, principalmente se for ligações de outros estados;
6. não tome atitudes precipitadas;
7. quando isso acontecer, procure primeiramente a pessoa que foi alvo do suposto seqüestro;
8. evite conversar com o criminoso, finja que o telefone está com problemas, e desligue;
9. fale que ele ligou para o número errado, ou diga que você é apenas um empregado que começou a trabalhar há pouco tempo;
10. após esse tipo de ligação, deixe o telefone fora do gancho ou não atenda a ligações de números desconhecidos por algumas horas;
11. não atenda pedidos estranho para qualquer procedimento no celular;
12. não receba ligações a cobrar, principalmente quando o interlocutor for desconhecido;
13. procure orientar os familiares idosos, pois são as vítimas preferidas dos criminosos.

 

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Comunicado importante para entidades ou atividades do Prata que queiram receber recursos




A Juíza de Direito da Única Vara da comarca de Prata/MG, Dra. Danielle Louise Rutkowski Dias Engel, no uso de suas atribuições e com amparo na Resolução nº 154/2012-CNJ e no Provimento-Conjunto nº 27/2013-TJMG-CGJMG, torna público que estarão abertas, no período de 23/setembro/2016 à 23/outubro/2016, as inscrições para seleção pública de projetos de entidades públicas ou privadas com finalidade social, ou atividades de caráter essencial à segurança pública, educação e saúde que atendam às áreas vitais de relevante cunho social, para serem beneficiadas com recursos financeiros oriundos de prestações pecuniárias objeto de transações penais e sentenças condenatórias.
As entidades interessadas em se tornar beneficiárias dos recursos mencionados no presente edital, deverão atender aos requisitos previstos no art. 4º do Provimento Conjunto Nº 27/2013-TJMG/CGJMG e apresentar, nas dependências do Fórum “Dr. Ronaldo Alves Vilela”, sito à Praça XV de novembro, nº 273-centro (34-3431-1312) a documentação necessária, onde também receberão as orientações a respeito.

Seleção pública para estagiários de graduação em Direito para Comarca do Prata




SELEÇÃO PÚBLICA DE ESTAGIARIOS DE GRADUAÇÃO EM DIREITO PARA PROVIMENTO DE VAGAS QUE VIEREM A SURGIR NO PRAZO DE 2 ANOS PARA COMARCA DE PRATA-MG.
INTERESSADOS: ESTUDANTES DE DIREITO, 4º AO 8º PERÍODOS.
INSCRIÇÕES: 26 de setembro/2016 até 24 de outubro/2016, das 12:00 às 18:00 horas, no Fórum “Dr. Ronaldo Alves Vilela”. Sito à Praça XV de novembro, nº 273, centro, Prata-MG.
PROVA: dia 3 de novembro de 2016, às 9:00 horas no Fórum “Dr. Ronaldo Alves Vilela”. Sito à Praça XV de novembro, nº 273, e terá(rão) duração de 2 horas.
Demais informações e conteúdo programático exigido: Edital 1/2016 afixado no mural no átrio do Fórum local.