sábado, 18 de fevereiro de 2017

Nesta segunda dia 20 tem eleição para Diretor e para os Conselhos Administrativos e Fiscal da COOPRATA

Elizanira Terra Diretora atual da Cooprata

Um grande passo será dado para a organização e defesa dos interesses dos produtores de leite do Prata, nesta segunda, dia 20 de fevereiro mais uma vez os associados da Cooprata estarão votando no destino desta que é uma das maiores e mais eficientes cooperativas do Brasil. Será a realização de mais uma eleição para a escolha do Diretor e membros do  Conselho Administrativo e Conselho Fiscal, não teremos eleição para Presidente, onde o atual Presidente Baduy vem exercendo seu mandato com mãos firmes e sabedoria contando com apoio total de Diretores, funcionários e associados, ficando ainda por mais dois anos até a próxima eleição.
Além dos já tradicionais candidatos, que na maioria lançam de novo seu nome para reeleição, têm novos nomes de associados que também tem interesse em trabalhar e defender os interesses dos cooperados, é o caso do Teodoreco,  ex Prefeito do Prata por dois mandatos, ex Vereador e ex Presidente da Câmara, e também formado em Advocacia, é cooperado da Cooprata a 33 anos, e agora coloca seu nome e experiência para um dos cargos da Conselho Administrativo da Cooprata.
Nesta data como teremos eleição para o cargo de Diretor, teremos apenas um candidato para o cargo, que é do competente e sempre prestativo Leandro Assunção Junqueira que se afastou do cargo de Diretor que ocupava atualmente para se candidatar à reeleição. No seu lugar assumiu a produtora rural e um dos nomes mais fortes e atuante da Cooprata nos últimos anos: Elizanira Terra, que assumiu como Diretora da Cooprata desde o dia 1º de janeiro e fica no cargo até o dia 20 de fevereiro quando retorna o Leandro Assunção Junqueira.
A Cooperativa dos Produtores Rurais do Prata Ltda foi fundada em 21 de fevereiro de 1965 no Prata, centro do Triângulo Mineiro, por um grupo pequeno de 22 Produtores Rurais que acreditaram na força da união para um trabalho forte e seguro, formaram com recursos individuais um capital coletivo para garantir as atividades.
O número de médios e grandes produtores de leite cresceu 46% no Brasil nos últimos anos e eles tornaram-se os maiores responsáveis pelo abastecimento do produto no País. Esta conclusão é da Leite Brasil com base em recente estudo feito pela Embrapa Gado de Leite. E aqui em nossa região, o culpado por este crescimento, com certeza é o trabalho de cooperativas como a nossa Cooprata que vem, através de seu trabalho e constante acompanhamento dos Conselhos Administrativos e Fiscal, de seu Diretor e do atual Presidente, uma busca constante para o fortalecimento desses produtores associados, e com isto, possibilitando a melhoria na qualidade do leite e da renda do produtor, o que é um sinal forte da adoção de novas tecnologias e valorização do produtor de leite. 
Sucesso para os futuros eleitos e que continuem este brilhante trabalho à frente da nossa querida Cooprata, que é forte, que é gigante em tudo: no laticínio, no departamento técnico e loja agropecuária, no seu polo industrial com sua moderna fábrica de rações e também no seu supermercado que é considerado um dos melhores e mais diversificados da região.  Eleição é simples na minha consepção, tanto na eleição política, quanto na eleição de cooperativa: muda se os nomes e candidatos quando é preciso mudar para melhorar, e mantém os que realmente trabalham e visam o futuro da cooperativa, segue a lista dos candidatos:


Reportagem: Gil Martins


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

ABSURDO TOTAL: Câmara Municipal de Campina Verde ignora crise e aprova aumento salarial para assessores


 De R$2.927,87 até o ano passado, passarão a receber agora: R$5.323,41, curiosamente o aumento beneficiou somente os cargos que não exigem nenhuma formação profissional ou curso superior

Enquanto a Mesa Diretora eleita no ano de 2016, apresentou um projeto reduzindo o salário de cargos comissionados, os vereadores eleitos para conduzir os destinos do Legislativo neste ano de 2017, seguiu o caminho inverso e aprovou, na sessão de hoje, segunda-feira (30/01), um gordo aumento nos salários de cargos comissionados do Legislativo.
O aumento que veio disfarçado em forma de alteração de símbolos de remuneração no Projeto de Lei Legislativo nº 001/2017, de autoria da Mesa Diretora, composta pelos vereadores Isaías Geraldo Nunes Neto (Presidente), Marcos Donizetti Martins Lima (Vice-Presidente), Nélio Lacerda Inácio (Secretário) e Alexandre Freitas Macedo (Tesoureiro), foi aprovado por maioria, pois além de contar com os votos favoráveis dos autores, somaram-se a estes, os vereadores, Lucimar Aparecido Nunes e Vanderlei Ferreira da Silva, totalizando maioria no Legislativo de Campina Verde.
Com a aprovação do referido projeto, QUATRO funcionários, contratados em janeiro do ano em curso, passa a receber um salário mensal de R$5.323,41 (cinco mil, trezentos e vinte e três reais e quarenta e um centavos), ou seja, um aumento substancial já que até o amo passado este valor foi de R$2.927,87 (dois mil, novecentos e vinte e sete reais e oitenta e sete centavos).
Se não bastasse o caminho inverso, em relação à crise financeira que passa o município e consequentemente o alto índice de desemprego, os autores do Projeto, bem como os demais vereadores que aprovaram o aumento salarial, menosprezaram também a formação profissional, a qualificação e consequentemente o nível de escolaridade, já que a Câmara Municipal tem atualmente SEIS (6) cargos de provimento em comissão e curiosamente o aumento beneficiou somente os cargos que não exigem nenhuma formação profissional ou curso superior. Já os outros dois cargos, que exigem de seus ocupantes, formação profissional e curso superior, que são, Contador e Assessor Jurídico, não tiveram aumento em seus vencimento e os atuais profissionais, destes referidos cargos que exigem nível de escolaridade, irão perceber vencimentos (salários) inferior aos demais cargos.
Sendo assim, citando com exemplo, um Assessor Jurídico, profissional do Direito que frequenta um curso superior por cinco anos, após isso ainda é submetido ao exame da OAB, sem o qual ele não pode ser contratado para o referido cargo, foi vilipendiado pelos Legisladores, já que sua remuneração salarial ficou abaixo dos demais cargos que não exigem qualquer qualificação ou formação superior. 
Esta reportagem não está julgando, questionando ou duvidando da capacidade ou competência de nenhum detentor de cargo comissionado, mas sim ressaltando o flagrante delito contra a valorização profissional.
Apesar de poderes distintos, mas vale ilustrar ainda outro exemplo em relação aos cargos comissionados. Na Prefeitura Municipal de Campina Verde, um secretário municipal de educação que ocupa um cargo complexo e desgastante, por exemplo, recebe um salário mensal de R$4.200,00.
                É importante ressaltar que como se trata de Projeto de Lei do Legislativo, como o próprio nome sugere, é um ato normativo e de competência e promulgação exclusiva do Poder Legislativo, ou seja, não depende de sanção ou veto do Poder Executivo. Portanto, com a aprovação do Projeto, o aumento de salário em questão já passa a vigorar e não se sujeita à interferência do Poder Executivo.
A aprovação do referido projeto hoje na Câmara Municipal foi assunto do dia na cidade e especialmente nas redes sociais, onde a população manifesta indignação e decepção com os legisladores municipais, os quais, além de ignorar o clamor popular, já que a Casa de Leis estava lotada, ainda houve ameaças por parte do Presidente do Legislativo, Vereador Isaías Geraldo Nunes de esvaziar o plenário, caso permanecesse havendo manifestação dos cidadãos que ali estavam. Além disso, a população questiona ainda a agilidade e urgência na votação do referido projeto, o inverso que ocorreu em relação a outro Projeto de autoria do Executivo, enviado àquela Casa de Leis pelo Prefeito Municipal Fradique Gurita da Silva, referente ao parcelamento, compensação, dação em pagamento, remissão e redução de multas e juros de créditos tributários, que efetivamente beneficia a população, possibilita a diminuição de credores inadimplentes com o município, possibilitando nova oportunidade para quitar seus débitos, além de possibilitar o aumento de receita municipal sofreu pedido de vista, solicitado pelo Vereador Alexandre Freitas Macedo, pedido este que foi aprovado por maioria, pelos vereadores citados acima, o que consequentemente impediu a tramitação do projeto, protelando o benefício aos cidadãos e também ao município que tem necessidade de aumentar sua receita para devolver à população em forma de investimentos e serviços. 

Condutor de carreta de Campina Verde é preso com carga de maconha avaliada em R$ 20 milhões



Carreta utilizada no transporte
Policiais do Departamento de Operações de Fronteira fizeram na tarde de sábado (11) uma das maiores apreensões de maconha no Brasil neste ano de 2017, sendo flagrada e apreendida uma carreta que transportava uma carga de 7.185 quilos da droga.
O fato ocorreu durante policiamento itinerante de fronteira, onde uma das equipes operacionais do DOF, abordou durante o patrulhamento na MS 295, região de Tacuru/MS,  cidade distante a 416 Km de Campo Grande, uma carreta Scania T113 de cor azul com placas de Campina Verde/MG, conduzida por José Mirobaldo Santos, 48 anos, morador na cidade de Campina Verde.

Durante a vistoria ao veiculo, os policiais constataram que por baixo de uma carga de sal e ração, havia vários volumes de maconha que após pesagem totalizaram 7.185 quilos da droga.
À polícia, o condutor alegou que não sabia da droga na carroceria do veículo. Mesmo assim, ele foi preso por tráfico de drogas e encaminhado a DEFTON (Delegacia Especializada de Combate e Repressão aos Crimes de Fronteira), em Dourados MS. 
Droga apreendida
Essa carga, que foi avaliada em aproximadamente 20 milhões de reais é uma das maiores apreensões realizadas no Brasil no ano de 2017 e revela que, nesse período que antecede o carnaval, criminosos tentam usar as fronteiras de nosso estado rumo aos grandes centros visando abastecer esses “mercados consumidores”.
As equipes do DOF permanecem no patrulhamento itinerante em toda a fronteira com a Bolívia e Paraguai, visando coibir esse tipo de ilícito e aumentar a sensação de segurança nas cidades fronteiriças do MS.
Com informações: Cipó Guincho MS

                Fonte: https://noticiascampinaverde.blogspot.com.br/

Transferência de contas inativas do FGTS para outros bancos será feita sem taxas



 
Caso o trabalhador tenha uma conta poupança na Caixa, o dinheiro da conta inativa do FGTS será transferido automaticamente


 
A transferência de recursos de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) da Caixa Econômica Federal para outros bancos poderá ser feita sem cobrança de taxas, a pedido do trabalhador. Respeitado o calendário de saque das contas inativas, o beneficiário deve ir a uma agência da Caixa para realizar a operação de transferência – DOC ou TED – para conta de outros bancos.

Passo a passo: saiba como fazer para sacar o dinheiro do FGTS inativo
Caso o trabalhador tenha uma conta poupança na Caixa, o dinheiro da conta inativa do FGTS será transferido automaticamente para essa aplicação. Apenas nesses casos, o beneficiário terá até 31 de agosto para transferir esse dinheiro da conta poupança da Caixa para conta de outro banco, também sem taxas. A operação pode ser feita pelo site criado pela Caixa para o saque do FGTS das contas inativas, no endereço da Caixa. Para ter acesso às opções da página, o trabalhador deve informar o número de inscrição do PIS e o CPF.

Saques
Trabalhadores que têm até R$ 1,5 mil em contas inativas do fundo poderão resgatar o dinheiro em caixas eletrônicos usando apenas a senha do Cartão Cidadão, mesmo que tenha perdido o documento. Para valores até R$ 3 mil, o saque só será feito com o cartão e a respectiva senha. Também será possível retirar o dinheiro diretamente em Lotéricas – para saques até R$ 3 mil – e nas agências bancárias.
Para reforçar os atendimentos, a Caixa vai abrir as agências em um sábado por mês até julho, com exceção de abril (18 de fevereiro, 11 de março, 13 de maio, 17 de junho e 15 de julho).
A retirada do dinheiro das contas de FGTS inativas só poderá ser feita até o dia 31 de julho. Depois desse prazo, valerão as regras normais para saque, em casos como demissão sem justa causa, aposentadoria e aquisição de moradia própria.